Home / Curiosidades / Como Nascem Os Morcegos? Reprodução Dos Morcegos E Filhotes

Como Nascem Os Morcegos? Reprodução Dos Morcegos E Filhotes

Geralmente quando ouvimos falar em morcegos logo o associamos a representação de vampiros ou algo relacionado por toda a sua excentricidade e certamente ele está entre os animais mais excêntricos de fato

Para se ter uma ideia de sua excentricidade é pertencente ao grupo dos mamíferos, e é o único deles que voa. Por esta característica logo imaginamos que o que dá esta capacidade a eles são suas asas diferenciadas, mas não são exatamente asas como as das aves, formadas por ossos, o que os torna mais peculiares ainda, são uma espécie de fina pele entre seus dedos.

Os Morcegos: Por Que Os Associamos A Vampiros?

Quem os associa a vampiros o faz pela característica dos morcegos vampiros, assim denominados, de lamber sangues como única forma de alimentação, ou seja, serem hematófagos, assim como os ditos personagens são representados em geral em filme e animações.

Mas esta não é a única forma de representação, dentre as tantas espécies de morcegos somente três delas são os tais morcegos vampiros. Elas são o morcego vampiro de perna peluda que retiram este sangue tanto de humanos quanto de aves e em seguida duas espécies que o fazem em aves, o morcego vampiro e o de nome científico diaemus youngi. Esta alimentação se dá por meio de cortes feitos com seus dentes incisivos afiados e lambida no sangue do mesmo. Assim como as vítimas aves, que geralmente são de médio a grande porte, os humanos que são vítima deste morcego pode não perceber a atitude, pelo mesmo ser muito pequeno e consequentemente o corte e o tempo de sucção do sangue também.

Outros Tipos de Alimentação Dos Morcegos

Quando dissemos que este tipo de alimentação não é a única representação do morcego apesar de ser a mais característica dentre as outras mais comuns, nos referimos à maioria deles que são insetívoros, que como o imaginado se alimentam somente de insetos e em seguida, os frugívoros, que como o nome sugere, se alimentam somente de frutos.

Os primeiros são cerca de mais da metade da população deles, enquanto o segundo, menos que a metade. Dentre estes hábitos de alimentações diversos, estão os variados frutos, néctares, polens, sementes, folhas, insetos e outros pequenos animais como aranhas, caranguejos, aves e até peixes que tem o habitat muito destoante do seu.

Com tais alimentações consequentemente também têm importantes papéis na natureza, como o de serem dispersores de sementes como as aves, polinizadores e por outro lado, serem considerados pragas por alguns agricultores em plantações. Raramente nos deparamos com alguns deles nas nossas andanças por aí, mas apesar disto sua população não é pequena, como pode imaginar, são muitos em muitas espécies, tanto no Brasil quanto em todo o mundo. Surpreendentemente chegam a ser vinte a cinco por cento da população entre os mamíferos.

Morcegos E A Sua Diversidade

Dentre as classificações que os identificam, estão os megachiroptera, em que o chiroptera faz referência a sua ordem, a qual descrevem animais com mãos asas, já o mega, como o nome já diz por si só, se refere ao seu porte, são os maiores entre eles, podendo chegar aos inacreditáveis dois metros de comprimento.

Geralmente são frutívoros e nectarívoros, portanto, se alimentam somente de frutas e néctares, habitam as regiões mais isoladas da África, Ásia e Oceania e são os únicos morcegos com o comportamento diurno já que os outros são noturnos, e os microchiropteras, os menores entre eles, estes curiosamente têm a capacidade de eco localização, desta forma conseguem se localizar ou até chegar as suas caças como presas através de navegação por meio do eco, como os golfinhos e as baleias.

Outra característica muito forte dos morcegos é seu comportamento de se pendurar em árvores de ponta cabeça, com os pés, muitas vezes até chegando a dormir desta forma. No frio suas asas são usadas como dispersoras do vento frio, no calor são abertas mesmo quando não estão em vôo para de refrescarem. Tanto podem chegar a nadar ou mergulhar, como podem se locomoverem pelo chão.

São muito rápidos, o morcego sem rabo brasileiro por exemplo pode chegar a atingir os incríveis cento e sessenta quilômetros por hora. O significado do seu nome morcego é rato cego, nomeação contraditória já que todos seus sentidos incluindo a visão são muito apurados, fora ela, o olfato, a audição e o paladar.

Mas E Aí? Como Os Morcegos Se Reproduzem?

Adentramos um pouco do mundo pouco conhecido popularmente dos morcegos mas sobre o tema do texto e aí, como nascem tais bichinhos tão curiosos? Vamos falar deste aspecto de forma mais generalista quanto a cada uma das diversas espécies de morcegos existentes em todo o mundo.

Geralmente atingem a maturidade sexual, ou seja, a capacidade de se reproduzir instintivamente aos dois anos de vida, são poligênicos, ou seja, se reproduzem em grupos formados por um macho progenitor e várias fêmeas que são conquistadas pelos mesmos através de odores de glândulas do seu pescoço e ombros ou seus ornamentos, como cristas na cabeça. Antes deste posto o macho alfa compete com outros.

Atraindo a fêmea e acasalando, habitualmente reproduzem somente um filhote e têm de uma a duas gestações por ano, em contraste algumas outras espécies podem chegar a ter quatro filhotes por reprodução e de três a quatro gestações por ano.

Tais gestações destoam de dois a sete meses e como mamíferos placentários que são, se dá da maneira mais comum entre os animais, através da placenta da mãe. Quando nascem são criados pela mamãe morcego em berçários comunitários junto às outras fêmeas que também estão se reproduzindo no grupo. Após os cuidados e o desmame, se tornam totalmente independente aos um mês e meio, dois ou até quatro meses de vida. Após a sua independência e hábitos de vida na natureza apresentados têm a expectativa de vida de quatro a até trinta anos de vida, sempre diversificando de espécie para espécie dentre as tantas que existem em suas grandes populações.

As suas ameaças que atrapalhariam tal alcance são poucas, como o fato de poderem ser presas de corujas, falcões, cobras e parasitas como pulgas e outros animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *