Home / Curiosidades / Criação de Peru Embrapa

Criação de Peru Embrapa

O peru é uma ave galliforme, assim como o nome sugere, como as galinhas e os frangos por exemplo, além de outras aves que são criadas culturalmente para o abate, o consumo e a comercialização de sua carne.

Nos Estados Unidos da América e no Canadá a cultura do consumo da carne de peru é muito mais presente, além de ser um prato indispensável na ceia de Natal e Ano Novo, assim como no Brasil, é o prato principal do Dia de Ação de Graças, data comemorativa cultural nos dois países. Além da sua carne ser muito consumida nas datas comemorativas culturais de alguns países seja da região da América ou da Europa, atualmente têm um bom mercado no resto do ano também.

A avicultura de perus abrange além da carne a produção de estofados e almofadados com o aproveitamento de suas penas e até o seu esterco pode ser aproveitado para plantações. Apesar dos perus estarem quase se igualando a criação e consumo das galinhas, requerem mais cuidados.

Criação de Peru: Quais Os Cuidados

Aves no geral são muito mais frágeis e suscetíveis a doenças que outros animais devido ao seu sistema respiratório frágil. Entre os criadores, o peru é considerado uma ave que requer mais cuidados que as galinhas ou os frangos, por exemplo, apesar de terem as necessidades de criação bem parecidas.

Grande parte do risco de contrair estas doenças podem ser amenizadas ou até prevenidas totalmente com cuidados que os criadores forem adquirindo com o conhecimento prático. Mas apesar do suposto, nenhum deles requer muito trabalho ou mistério. São cuidados básicos que protegem a ave de vírus e bactérias a quem são mais sensíveis, mas são cuidados que deveríamos ter na criação independente de qualquer motivo, pensando não só na saúde, mas no bem estar da ave também, o que acaba interferindo diretamente na qualidade da carne.

Como Deve Ser O Viveiro?

O viveiro de uma ave domesticada deve sempre remeter ao que seria seu habitat na natureza vivendo de forma selvagem. Os perus assim como os galliformes galinhas e frangos são aves totalmente adaptáveis a flexíveis ambientes com diferentes climas.

Mas apesar disso, vale lembrar que todo cuidado e equilíbrio é pouco, ainda mais diante de uma ave tão sensível e suscetível a doenças. O viveiro deve ser disposto em um ambiente protegido de muito frio e vento gelado, muito calor, e vento quente e muito menos chuva. Se em dias mais extremos mesmo com todo o seu cuidado para a construção do espaço, há algumas destas ocorrência, lonas podem ser usadas para os protegerem de vírus e bactérias.

Higiene Na Criação De Peru

Outro cuidado o qual poderia também contrair os citados males acima senão prevenidos, é através da higiene e desinfectação do viveiro. Para tal materiais vegetais podem ser usados no solo, como as simples palhas, material com um bom custo benefício para o caso. Se o solo for forrado com ele, absorverá as fezes e o xixi e você trocará o material periodicamente sempre que necessário, na média de ao menos uma vez ao dia, evitando a contração de doenças também através de restos de alimento que caiam em contato com as fezes e xixi e a ave cisque para se alimentar.

Outro material usado pelos criadores para este cuidado são telas no solo e o contato direto do peru ficaria na mesma, já os restos de matérias orgânicas, embaixo da tela, onde as aves não teriam contato direto, o que certamente requerá menos atenção quanto a periodicidade da higienização e desinfectação.

Alimentação na Criação de Peru

Perus são aves, e aves no geral são onívoras, na natureza vivendo de forma selvagem, caçam insetos de onde retiram suas proteínas, vegetais como folhas e flores, grãos e sementes.

Na domesticação a alimentação será a base de ração específica de qualidade, onde grande parte dos nutrientes necessários para sua saúde e imunidade a doenças serão retirados. Além da ração, frutas, verduras e legumes deverão ser oferecidos. Uma dica é que perus gostam muito de folhas verdes no geral como couve, coentro ou salsinha.

Peru Embrapa
Peru Embrapa

Fora a ração diária, a oferta destes alimentos dia sim e dia não em sua alimentação é o recomendado. Isto no caso dos perus adultos, perus filhotes requerem mais cuidados, há criadores que indicam adicionar farinha láctea a ração para alimentar o filhote, desta forma garantindo mais nutrientes, aumentando sua imunidade e consequentemente prevenindo de doenças as quais estas aves são ainda mais suscetíveis da adquirir nesta fase ainda mais sensível.

Nesta mistura o indicado é uma medida de farinha láctea para uma de ração no caso dos filhotes já mais desenvolvidos, ou duas de farinha para uma de ração no caso dos mais novinhos. Alguns criadores estranham esta fase onde o filhote de peru, começa a querer se alimentar somente no segundo ou terceiro dia após a eclosão do ovo e nascimento. Ainda sobre a chocamento do ovo, ele ocorrerá assim como na natureza por volta dos vinte e oito dias.

Tanto neste período quanto por toda a fase reprodutiva, os ninhos, em formato de cesta como seria na natureza feito pela mãe ou em forma de caixinha, devem ser forrados com materiais vegetais como palhas e folhas, em um ambiente quente e iluminado, espaçoso e confortável, para a mãe também quando for chocar, garantindo desta forma que os perus realmente nasçam.

Peru Embrapa Como Criar
Peru Embrapa Como Criar

Nesta mistura de ração e farinha láctea, a chamada farinhada, há a opção de fazer com ela seca ou através da adição de leite, ou ovos cozidos, deixando o alimento mais molhado para facilitar este começo do processo do filhote em se alimentar. Se diante de todos estes cuidados básicos, ainda assim seu peru acabar contraindo alguma doença comum, o mais indicado é contatar um médico veterinário especializado que poderá receitar remédios com propriedade, provavelmente um anti-inflamatório ou vacina.

Diante das anormalidades mais comuns estão a coriza, as narinas inchadas, os olhos lacrimejantes e avermelhados e as fezes moles e esverdeadas. Lembrando que assim como animais domésticos mais comuns como cães e gatos, aves como os perus também requerem vacinações periódicas recomendadas e dadas por veterinários especializados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *