Home / Curiosidades / Curiosidades e Dicas Sobre o Cachorro

Curiosidades e Dicas Sobre o Cachorro

O cachorro é um animal muito social, dócil e cativante, sendo considerado há tempos como o “melhor amigo do homem”. Alguns comportamentos deste animal de tão surpreendentes chegam a ser intrigantes, como por exemplo, a forma como eles demonstram afeto e reverência, que é pela lambida e por falar nela, vale também mencionar que na boca de um cachorro existem menos bactérias e germes que na boca de um humano.

Você certamente já escutou a expressão popular “com o rabo entre as pernas”, esta revela um comportamento do animal quando ele está com medo e nessa hora é bom ter muito cuidado, pois eles podem atacar sob a hipótese de qualquer movimento brusco.

Outro fato curioso sobre os cachorros é o modo como eles coletam informações sobre o outro, há uma glândula na região do ânus que identifica cada animal, o odor deste é como uma impressão digital, servindo para fornecer informações sobre o mesmo.

Cachorro mais inteligente – Border Collie 

Stanley Coren, psicólogo especializado em cães que é também autor do livro A Inteligência dos Cães garante que a raça de cão mais inteligente é uma raça de trabalho e pastoreio criada na Inglaterra há mais de cem anos, a border collie. Esse professor de psicologia da Universidade British Columbia em Vancouver, Canadá, coordenou uma pesquisa com mais de 200 juízes canadenses e americanos especializados em provas de obediência. Segundo ele, a border collie ficou em primeiro entre as 133 raças analisadas.

Border Collie 
Border Collie

Segundo a veterinária Cristina Moreira, paulistana que concorda com o resultado da pesquisa, “Essa é uma raça superativa, que precisa de espaço para realizar atividades físicas. Caso fique confinado em um espaço pequeno, ficará extremamente agitado”.  O border tem um temperamento simpático, ele tem predileção por pastorear rebanhos e caso lhe falte um, ele cuida de crianças, patos e tudo mais o que se mova. É um cão atlético e de extrema vitalidade, que dá show em competições do tipo agility, em que o animal precisa superar vários obstáculos. Sobre a consideração feita anteriormente, vale ressaltar que ele é um pacote de energia física e mental, se concentrando em tudo que faz e também tendo o hábito de encarar, o que acaba irritando outros animais. Ele é desconfiado e protetor em relação a estranhos.

Cachorro ajuda com as mulheres 

Eles são de fato os melhores amigos do homem e é possível comprovar isso com ciência pura, vamos às evidências. O psicólogo francês Nicolas Guégen, da Universidade da Bretanha do Sul, na França selecionou um rapaz para pedir o telefone de mulheres desconhecidas na rua. Primeiro ele saiu caminhando pelas ruas sozinho e das 120 mulheres abordadas, apenas 11 delas passaram seus números. Depois ele fez a mesma coisa ao lado de um cãozinho bem foto e na mesma quantidade de tentativas o número de telefones conseguidos subiu para 34. Esse foi o terceiro de três experimentos do tipo “sem cachorro” e “com cachorro” que Guégen fez para ver o quanto a companhia dos caninos influencia a simpatia alheia. No primeiro dos estudos, um indivíduo pedia dinheiro na rua para inteirar sua passagem de ônibus e da mesma forma, com o bichinho ao lado ele ganhou mais e maiores contribuições. No segundo, a intenção era ver quantas pessoas paravam para ajudar a pegar moedas que caiam no chão de propósito e novamente com o cachorro presente, mais gente ajudou.

Cães também sentem ciúmes

E isso é coisa que qualquer dono de cachorro pode notar, mas a ciência quis e  fez questão de provar. Para isso pesquisadores da Universidade da Califórnia convidaram algumas pessoas para levar seus cães ao lugar dos testes. Lá dentro os participantes tinham de interagir com uma abóbora iluminada de Dia das Bruxas, que simulava um falso cachorro animado e também com um livro infantil, do tipo que toca melodias. A ideia era fazer com que eles tratassem os dois primeiros objetos como se fossem cachorros de verdade e os cães foram filmados durante as brincadeiras. A reação, como era de se esperar, foi que eles não gostaram nenhum pouco de ver seus donos brincando com os cães de mentira, eles encostaram e tentaram chamar mais a atenção dos humanos enquanto eles brincavam com os bonecos do que com os outros objetos. De acordo com a pesquisa, eles nem sempre foram agressivos, já que tentaram também aspectos positivos como ser mais afetivo para ganhar a atenção do dono e tentar recuperar a relação, conta Christine Harris.

Cães enxergam seus donos como pais

E é por esse mesmo motivo que, ainda que velhos eles irão agir como se fossem criança. Quem liderou a pesquisa para tirar as conclusões foi Lisa Horn, veterinária da Universidade de Viena, na Áustria. Os cães foram separados em três grupos: uma parte ficaria sem o dono, enquanto que a outra estaria na companhia deles, sendo que nesse grupo parte deveria se manter em silêncio e a outra encorajar seus animais a fazerem atividades. Tudo o que era preciso fazer era estimular a interação com alguns brinquedos e em troca, eles receberiam comida. Os cães que estavam na companhia dos donos passaram mais tempo brincando, já os que não estavam na companhia dos seus, nem a comida os animou. A conclusão foi que cães se sentem mais seguros, confortáveis e confiantes na presença de seus donos e sem eles, tudo parece mais perigoso e sem graça.

Cães Adoram Viajar

Assim como nós humanos, os cães adoram passar finais de semana, feriados ou aproveitar qualquer outra ocasião para mudarem de ambiente, eles acham isso bastante divertido e hoje há opções como canis de hospedagem e hotéis para cachorros. Estudiosos britânicos realizaram uma pesquisa avaliando indicadores de estresse de alguns cães selecionados medindo-o em casa e também em um canil. Para tal, bastou apenas medir os níveis de corticosteroides (hormônios de estresse) e de epinefrina (adrenalina), além de interpretar os sinais mais claros expressos no comportamento, como bocejos, inquietação, agitação e também da saúde física (pele, nariz, temperatura do corpo e alimentação). Cães apresentam sinais mais fortes de excitação estando fora de casa, sugere o estudo e com isso os níveis de adrenalina aumentam, parte por consequência dos exercícios físicos e da empolgação, já que nos canis eles se movimentam mais e se sentem bem por estarem na companhia de outros cães. Os resultados são ainda melhores em espaço aberto cheio de outros cães. Viu só como temos muito em comum com nossos queridos amigos?

Razões Científicas para ter um Cachorro

Eles diminuem o estresse no trabalho – pesquisadores da Universidade da Virginia em parceria com uma empresa conseguiram que um grupo pudesse levar seus cães para o trabalho durante uma semana, enquanto que um outro grupo seguiria a rotina normal. Os envolvidos na pesquisa tiveram de concordar em ceder um pouco de saliva, para que assim fosse possível medir o nível de estresse. O resultado foi que os funcionários que não estavam na companhia de cães acabavam o dia mais estressados que os demais.

Razões Para Ter um Cachorro
Razões Para Ter um Cachorro

Deixa seu Coração mais Saudável – já que a companhia deles te deixa menos estressado, podemos concluir que por consequência seu coração acaba ficando mais saudável. A pesquisa dessa vez foi feito no Japão, monitorando a vida de um grupo de pessoas com idade entre 60 e 80 anos, com diabetes, colesterol alto e pressão alta. Os desse grupo que tinham cachorros, tinham batimentos cardíacos mais adequados, isso porque além de diminuir o estresse, a companhia dos cães supre parte da nossa necessidade de interação social.

Ajuda na Paquera – quando um ator foi escalado para pedir o número de telefone de mulheres aleatórias na rua, de 120 abordadas apenas 11 concordaram, mas quando ele estava na companhia de seu cão, esse número subiu para 34.

Caso Você Tenha um Bebê – há quem ache repulsiva a ideia de criar um bebê e um cachorro no mesmo ambiente, pela ideia de bactérias, mas eles acabam fortalecendo o sistema imunológico dos pequenos.

Quando os cães se tornaram melhor amigo do homem?

Há mais de uma teoria aceita a respeito deste assunto e a mais provável delas conta que tudo começou há cerca de 15 mil anos atrás. Nessa época, os cães ainda eram lobos selvagens e não os simpáticos animais dotados de docilidade que conhecemos hoje. Esses lobos em questão foram sendo amansados e só muitas gerações depois deram origem às raças de cachorros. O motivo mais aceito sobre a domesticação começou com filhotes de lobos cinzentos que viviam próximo a acampamentos humanos e se alimentavam de restos de comida deixados pelos mesmos. Nossos ancestrais percebendo que alguns eram mais dóceis que outros enxergaram vantagens em ter esses por perto, isso porque eles davam alarme quando outros animais ferozes se aproximavam dos acampamentos e em troca os animais recebiam alimento e afago, nascendo aí uma das histórias mais longa de amizade entre diferentes espécies.

Cachorro e o Homem
Cachorro e o Homem

A região onde isso aconteceu também é um mistério, assim como o momento exato da domesticação, já que como se sabe, esse foi um processo gradual. Achados arqueológicos apontam para a possibilidade de a domesticação ter acontecido no Iraque e a partir daí os cães se disseminaram pela Ásia, Europa e Américas junto com o homem. O cientista Peter Savolainen, do Instituo Real de Tecnologia de Estocolmo, na Suécia, formulou uma nova teoria apontando que lobos primitivos foram domesticados em um período bem anterior, no leste da Ásia. Ele fez essa afirmação com base em análises de DNA de cães e lobos e independente de qual seja a teoria verdadeira, os cães são excelente companhia.

Porque não olhar um cachorro bravo nos olhos?

Alguns sinais precedem o ataque: os pelos da nuca e do dorso ficam eriçados, o animal mostra os dentes e pode rosnar ou latir nervosamente, as orelhas ficam erguidas ou voltadas para frente e a postura é rígida, com dorso encurvado e membros afastados. Há diversos motivos que podem provocar um ataque desses: medo, predação, sofrimento, treinamento, instinto de liderança, brincadeira, defesa de objetos e da prole, conta o veterinário. Na tentativa de evitar o ataque, o ideal é parar e abaixar a cabeça assim que perceber que o cão está observando, jamais o olhando diretamente nos olhos. Também é importante não realizar movimentos bruscos, andar para trás em passos lentos, sem dar as costas para o cão. Se o ataque for inevitável, use as mãos e braços para defender cabeça e pescoço, já que dessa maneira o cão pode reduzir a intensidade das mordidas ao entender isso como sinal de submissão.

Seu cão fica enjoado de manhã?

Se você reparou esse comportamento em seu mascote, saiba que há dois motivos que levam a ele: o primeiro é gravidez, mas caso se trate de um macho ou se o mesmo persistir mesmo depois de os filhotes terem nascido, é possível que se trate de refluxo biliar, que pode acontecer com todas as raças, mas atinge em especial os que têm outros problemas digestivos, como pancreatite. Os sintomas se resumem ao vômito de um pouco de espuma branca ou amarela toda manhã depois que ele acorda. Se ele tiver diarreia, encolher-se, arfar de forma extrema sem razão aparente e aparentar tontura, a condição pode ter se agravado e nesse caso ele irá precisar de atenção veterinária.

Cachorro Enjoado
Cachorro Enjoado

Essa condição acontece porque o estomago não consegue suportar o acúmulo de ácido estomacal que ocorre durante uma noite de sono e como não há comida no mesmo, o ácido não é amortecido. A causa de o estômago não tolerar tal quantidade de ácido ainda é estudada e uma das suposições é a de que o órgão tenha sido danificado por alguma infecção viral, parasitas ou doença anterior como colite. Vomitar bile uma vez por dia não é considerado nocivo, a menos que os sintomas apareçam. Dar um petisco ou pequena refeição ao cão tarde da noite pode ajudar a amenizar o problema, já que assim haverá algo que amorteça o ácido. No caso de o cão estar expelindo outra substância que não seja a espuma branca ou amarela, que deve cair da boca e não se lançada em arco, é recomendado procurar o veterinário.

Cachorro Triste
Cachorro Triste

Como Divertir o Cachorro em Casa

Quem tem o costume de viajar com frequência e nem sempre pode levar seu amigo, camarada e bicho de estimação consigo, sabe a saudade que bate e também a agonia que pode ser deixá-lo sozinho em casa. Isso não só pela saudade que bate, como também a paranóia em imaginar como o cão está se comportando e a forma como está brincando (ou destruindo algo). A era digital em que vivemos está se estendendo não só a nós, mas também a eles. Isso porque agora eles podem aprender e se divertir com ela, burlando a ideia de que tecnologia é um privilégio humano. Estamos falando do projeto CleverPet, aparelho que está arrecadando fundos no Kickstarter e tem a premissa de ser a nova mania entre os cachorros.

Brincar com Cachorro em Casa
Brincar com Cachorro em Casa

O mesmo desafia os cachorros com joguinhos e dá comida para cada acerto deles. O funcionamento se dá da seguinte maneira: há três botões no CleverPet, eles acendem luzes e os cães precisam apertar com o focinho ou a pata os botões que foram acesos. Eles ganham um biscoito toda vez que acertam e o nível de dificuldade da brincadeira vai aumentando até que eles precisam lidar com sequências para ganhar o aperitivo. O objetivo é treinar a inteligência deles e ao mesmo tempo diverti-los. Para donos que passam períodos longos fora de casa, é possível propor desafios aos cães por meio do site ou de smartphones e os criadores do aparelho pretendem começar a vendê-lo em fevereiro do ano seguinte. Em solo norte-americano, ele custará 279 dólares, mas quando essa tecnologia chegar em mercado sul-americano, ainda não há perspectiva de quanto ele custará, mas sabemos que será mais que isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *