Home / Curiosidades / Erros Cometidos por Donos de Cachorros

Erros Cometidos por Donos de Cachorros

O melhor amigo do homem por vezes é considerado como sendo um filho para algumas famílias, que tentam educa-los da melhor forma possível. O problema é que nessa tentativa alguns erros são cometidos e passam despercebidos, mas esses podem prejudicar o desenvolvimento dos animais. O zootecnista Rodrigo Caldarelli nos contou alguns dos maiores erros que os donos cometem na hora de cuidar de seus cães. É necessário ressaltar que o comportamento canino não é uma ciência exata e dessa forma, cada cão é único, podendo por isso apresentar significados diferentes a dado comportamento, mas as informações a seguir servirão de instrução e é bem provável que você se identifique com algumas delas.

Dar Bronca sem Ensinar

Agir dando uma bronca no cão esperando que ele simplesmente entenda o motivo da sua frustração é algo que não costuma dar certo. Cães aprendem de maneira associativa, sendo assim é bem possível que eles interpretam a bronca como uma forma de atenção, o que só irá estimular o comportamento errado ao invés de corrigi-lo. A melhor forma de dar a bronca é trabalhando a punição junto com o reforço positivo. Ela precisa significar fracasso para o cão, levando-o a entender que com o comportamento errado ele não ganha nada, mas se agitar da forma correta, terá recompensas – embora não seja necessário premiar seu cachorro toda vez que ele fizer a coisa certa.

Donos de Cachorros
Donos de Cachorros

Caso durante o treino ele perceba que o bom comportamento gera gratificação, fará uma associação positiva em relação a isso sem que seja necessário recompensá-lo caso ele acerte todas às vezes. É necessário pontuar também que o termo “não” deve ser empregado com moderação, para que não seja banalizado por tanto ser usado. Você pode optar por usá-lo ou então um borrifador de água ou ainda uma latinha com moeda para dar a bronca. Caso ele, por exemplo, arranque uma roupa do varal, você dá a bronca e espera alguns segundos até perceber se ele compreendeu. Caso não tente repetir o erro, recompensa, que pode ser um carinho, um brinquedo e também comida.

Torná-lo Inseguro

Cães costumam ter medo de trovões e de fogos de artifício e isso é sabido de todos. O problema está nos donos que na hora do barulho fazem uma cena dramática e colocam o filhote no colo, o que só acaba reforçando o receio e aumentando seu medo. A associação feita pelo bicho é a de que se os donos precisam protege-lo daquilo é porque a ameada é muito maior do que parece ser. Outra situação é na hora do banho, ficar segurando o tempo inteiro, cercando com medo pelo bicho pode gerar muita ansiedade no animal e até traumatiza-lo. É necessário adotar uma postura tranquila e agir como se nada estivesse acontecendo, o que irá passar segurança. Na hora da chuva, por exemplo, vale também começar a brincar com o animal para ele distrair e não focar no barulho. Atos como mostrar vídeos na internet com barulho de fogos e de trovões e ir aumentando o volume gradualmente podem ajudar para que ele se acostume com isso, assim como passar uma escova nele ou ligar o secador antes do banho.

Não Deixar o Cachorro Sozinho 

É comum que o dono fique apegado do bicho nos primeiros meses, mas quando precisamos sair para trabalhar e até mesmo dormir, o cachorro que fica sozinho começa a latir, raspar a porta e até mesmo destruir alguma coisa. A maioria dos donos, nessa hora ou fica com dó do cão ou dá bronca. Como o cachorro trabalha com associação, irá entender que a bronca é atenção ou que se latir muito, você ficará com dó e assim nunca aprende a ficar sozinho. Se o cão ficar latindo e você está em outro cômodo da casa, só apareça quando ele parar, ele não ficará latindo por muito tempo se for novo e não tiver vício, assim ele irá entender que você só chega quando ele fica quieto. O especialista sugere uma forma de treinar esse comportamento: espalhe ração em um cômodo da casa, feche o cachorro lá e espera um pouco para voltar. Essa é uma maneira de levar o cão a associar seu retorno com o fato de fazer a coisa certa – o especialista disse ainda que se não funcionar com a ração, vale a tentativa de algo mais saboroso, como uma salsicha.

Sobre a Alimentação

  • Há duas considerações a serem feitas sobre a alimentação do bicho. A primeira delas envolve os problemas de se misturar petiscos e também comida humana com a ração do animal, o que é feito na intenção de somar um agrado, mas pode prejudicar o controle da dieta adequada do animal, já que ele irá preferir comer o que acha saboroso a ter uma alimentação balanceada. Há uma quantidade ideal de comida dividida em uma quantidade de vezes por dia que o cachorro tem de comer, o que pode ser, por exemplo, 300 gramas três vezes ao dia. Cabe a você perceber se ele está comendo mais do que precisa ou ainda se será necessário aumentar a quantidade caso ele fique muito desesperado por comida.
Alimentação do Cachorro
Alimentação do Cachorro
  • A segunda consideração e também a mais importante envolve aquele ritual que você deve conhecer bem: você se senta à mesa para comer e ele chega, às vezes agitado, outras como se não quisesse nada e late, pula, fica embaixo da mesa lambendo, senta e fica parado encarando com olhar pidão. Você não resiste, ou então se chateia e quer logo acalmá-lo e acaba dando um osso ou algum resto. Por ser esse um comportamento errado e você recompensar, a associação também é errônea e por mais que seja uma tentativa de agradar, acaba alimentando também um comportamento que irá incomodar bastante depois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *