Home / Curiosidades / Quais Animais Comem A Capivara? Quem É Seu Predador?

Quais Animais Comem A Capivara? Quem É Seu Predador?

Como muitos outros animais, a capivara é caçada e consumida por algumas espécies de diferentes animais. São presas mas não são predadoras, são herbívoras, se alimentando somente de diversos tipos de vegetações encontradas em seu habitat, como o típico capim e outras plantas terrestres ou aquáticas, já que são animais semiaquáticos.

Predadores E Convivências De Trocas Mútuas Com A Capivara

É nas águas que que passa grande parte do seu hábito diurno, onde acabam se protegendo dos seus predadores. Há casos em que invertem seu hábito diurno, ou seja, se tornam noturnas, como animais muito adaptáveis que são, para se protegerem de seus predadores.

Uma das características principais da capivara, é ser o maior roedor entre todos, sendo assim já é possível imaginar que seus predadores devem ser fortes e assim o são. Eles são de diferentes espécies como as aves de rapina, cobras, jacarés, onças, leopardos e até cachorros selvagens.

Vale citar que as capivaras também são caças do homem, que visam a sua carne e a sua pele, seu couro, como tantos outros animais. Este hábito não é muito comum no Brasil, onde habitam bem espalhadas geograficamente em grandes populações, mas em alguns outros países onde habitam, como a Venezuela é uma cultura comum.

A carne de capivara é apreciada por alguns consumidores por ser saborosa, já alguns outros experimentaram mas não aprovaram por não suportarem o cheiro forte que a mesma possui. Neste caso é fácil lembrar do cheiro característico da carne de peixe para usarmos como exemplo. Já a pele da capivara pode produzir os mesmos produtos produzidos com o couro oriundo de abates mais habituais, como o dos bovinos, caprinos e ovinos.

Algumas espécies de pássaros acabam exercendo importantes papéis na convivência com a capivara na natureza. A capivara é hospedeira do carrapato estrela e algumas espécies de pássaros posam no animal e se alimentam do seu parasita. Também há outras espécies de pássaros que posam nas capivaras como se elas fossem poleiros e enquanto caminham e naturalmente espantam insetos, as aves se alimentam de forma facilitada.

Capacidade Adaptativa E Consequências Para As Capivaras

As capivaras não são animais adaptáveis somente quanto a sua mudança de comportamento para a sua sobrevivência, como é o caso de quando invertem seu hábito diurno pelo noturno para se protegerem de predadores, mas recebem esta rotulação por muitos outros motivos e pelos mesmos em algumas situações acabam sendo consideradas pragas.

Justamente pelo seu hábito semiaquático, em que passam boa parte do seu tempo na água se protegendo de predadores, com a capacidade de mergulhar e nadar com suas patas adaptadas, se alimentar e até acasalar, são habitantes naturais em ambientes que possuam rios, lagoa e represas. O que acontece é que muitas vezes, como é o caso do habitat natural de tantas outras espécies de animais, os mesmos são modificados ou desmatados pelo homem, como é o caso de construções de espaços de lazer nestes ambientes, construções de áreas residenciais ou plantações de alimentos, como cana de açúcar ou vegetais.

O que acontece com a maioria dos outros animais diante deste fato, que vem a ser a diminuição da sua população ou em casos mais graves, a sua extinção, isso não acontece com a capivara, justamente por serem animais tão adaptáveis.

Esta adaptação pode se estender a ambientes alterados pelo ser humano mas isolados da convivência com os mesmos, como canaviais e pantanais, ou até mesmo em ambientes em que hajam a presença de humanos, como áreas urbanas ou de lazer, como parques. Quando habitam plantações acabam juntando o seu habitat a sua forma de conseguir alimentação, se alimentando da mesma, o que pode levar a classificação como pragas por plantadores por comerem toda a sua plantação.

Em áreas onde há a habitação humana, os parasitas de quem as capivaras são hospedeiras, os carrapatos estrelas, podem acabar picando pessoas e até transmitindo a febre maculosa, outro motivo pelo qual podem ser denominadas como pragas.

Quando Seus Predadores Não Se Adaptam

Nos ambientes em que se adaptaram, não há a mesma quantidade de pássaros que se alimentam do carrapato estrela ou seus predadores como há no seu habitat natural, portanto consequentemente estão protegidas nestes ambientes e tendem a somente aumentar a sua população através da sua reprodução.

Todos estes fatores apresentados são os responsáveis para que a capivara se torne praga, comendo plantações, transmitindo febre maculosa através do carrapato estrela, ou habitando os mesmos ambientes que nós.

Temos Que Nos Adaptar Também

Capivara na Beira do Lago em Um Parque
Capivara na Beira do Lago em Um Parque

Muitas pessoas podem ligar o fato de que as capivaras podem se tornar pragas ou já são, dependendo da região onde a pessoa mora, pela sua capacidade reprodutiva, mas este não é o motivo principal, apesar do animal poder se reproduzir por todo o ano. Mas geralmente acontece somente uma vez no ano por fêmea, ou no máximo duas, isto porque é o roedor quem apresenta a gestação e a amamentação de seus filhotes mais longa, com cerca de cinco meses da primeira e quatro da segunda, gerando cerca de quatro filhotes por reprodução.

Diante de tanta capacidade de sobrevivência, a população também deve se adaptar. Algumas medidas mais assertivas mas que muitas vezes acabam sendo impedidas pela burocracia do sistema ou pela falta de responsabilidade de planejamento e administração, é a possível castração das capivaras para que sua população seja estabilizada, ajudando assim até mesmo no controle do carrapato estrela, evitando a transmissão da febre maculosa, que comumente o tratamento com antibióticos pode não ser suficiente, levando as vítimas a morte, como há registros de tantos casos.

Houve situações em que a morte de capivaras foi autorizada, como forma de proteger a população de doenças, o que de longe não é a solução mais assertiva. Lembrando que as capivaras assim como qualquer outro animal silvestre é protegido pela lei no Brasil. Em alguns outros países em que se encontram esta caça é liberada. Por outro lado, há quem se adapte a legislação para o mesmo fim, tornando possível a sua criação e seu abate para consumo da carne e do couro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *