Home / Informações / Características do Mundo Animal: Sobrevivência

Características do Mundo Animal: Sobrevivência

A conexão entre o ser humano e os animais sempre contribuiu de maneira positiva principalmente para o primeiro, tanto no âmbito do desenvolvimento, como no afetivo e também em sua sobrevivência. O homem aprendeu muito sobre si quando teve de aprendeu a lidar com os outros animais e tal cuidado trouxe também uma maneira diferente de enxergar os mesmos, não mais como alimento ou companhia somente, mas como uma vantagem ao realizar trabalho.

A paleontóloga Pat Shipman explica que os seres humanos têm uma tendência a manter animais de estimação e ela exemplificou sua tese com os casais que optam em ter mais animais de estimação do que filhos e dos moradores de rua, que mesmo em condições terríveis tendem a manter animais de estimação. A segunda situação já pôde ser percebida por boa parte de nós e a primeira é uma excelente forma de novos casais se adaptarem um ao outro antes de optarem por ter um filho.

Será que Eles Têm Sentimentos?

Quem tem um cachorro não tem dificuldades em responder “sim” a essa pergunta. Eles têm toda uma artimanha para fazerem certas caras quando querem algo, ficam envergonhados quando levam broncas e ficam alegres ou tristes conforme o humor de seus donos. O ponto de vista científico confronta essa percepção, concordando que alguns animais têm sim células fusiformes, que são responsáveis pelo comportamento social humano a interação entre sentimentos e pensamentos, mas a presença destas não significa que de fato eles tenham sentimentos. Experimentos mostraram que cães são sensíveis a estímulos humanos e sociais e são capazes de interpretá-los corretamente. Segundo os cientistas as sensações que percebemos nos animais são apenas reflexos de sentimentos humanos, segundo a própria ótica humana e que os animais em si não possuem sentimentos presentes no cérebro. Mas essa afirmação é apenas um ponto de vista de cientistas, ou seja, não significa que seja  a verdade e você compreenderá isso lendo os dois surpreendentes estudos a seguir.

Eles São Capazes de Diferenciar o Certo do Errado

Diferentemente do ceticismo dos cientistas do estudo acima, uma série de estudos mostrou de forma clara evidências de que os animais pudessem ter sim um senso de moralidade, sendo capazes de diferenciar boas ações de más ações. Os canídeos são o principal objeto de pesquisa, pois dentro do círculo social desses animais, dos lobos principalmente, há um estrito código de conduta na sua vida em alcateias e dentro do desse círculo atos de altruísmo, justiça, perdão, reciprocidade, perdão e tolerância já puder ser observados.

Sentimento dos Animais
Sentimento dos Animais

Quanto aos cães, isso pode ser visto em canis de tratamento. Nesses canis, os cachorros brincam um com o outro seguindo um código de conduta um tanto quanto complexo e em jogos como esses, eles latem com intenções amigáveis, rolam pelo chão se revezando no papel de quem domina, dando ao outro a chance de “vencer” a luta e fazendo movimentos cuidadosos para não se machucar e parecendo se desculpar quando exageram um pouco.  O senso de justiça dos cães também já foi comprovado através de um estudo da Universidade de Viena, na Áustria. No caso da sociedade dos lobos, violar os códigos de comportamento gera sinais de reprovação por parte dos demais integrantes do grupo e esse é um problema sério, já que pode ter como consequência a exclusão do grupo, o que é prejudicial para o animal. Todas essas evidências denotam um amplo senso de moral entre os canídeos.

Um Código de Moral Semelhante ao dos Humanos

Um ecologista da Universidade do Colorado, Marc Bekoff, acredita que a moral está ligada ao cérebro dos mamíferos e provê uma ligação social que permite que animais agressivos e competitivos possam viver juntos em grupo. Os códigos morais são específicos para cada espécie e isso dificulta estabelecer comparação com os humanos. Animais como baleias e golfinhos, que na escala evolutiva estão longe de nós, apresentam estruturas cerebrais responsáveis pela empatia nos humanos. Algumas descobertas mostraram que alguns animais  podem ser capazes de demonstrar empatia por outras espécies.

O Curioso Uso de Partes do Corpo de Animais

Alguns animais são usados diretamente em nossa alimentação, mas alguns outros acabam servindo também de ingredientes para a confecção de outros produtos, como por exemplo, partes de ovelha contidas no sabão e ingredientes de peixe na cerveja. Essas partes que dão origens a subprodutos não são usadas na alimentação, essa foi a forma que empresas encontraram de aproveitar cada pedacinho dos animais, certificando-se de que nada seja desperdiçado sendo útil.

A vaca talvez seja um dos animais mais úteis deste segmento, tudo dela se aproveita, seu intestino por exemplo é usado na fabricação de cordas de raquetes de tênis, já que tem uma elasticidade incrivelmente boa, que melhora a performance do atleta. Ele também é usado para produzir cordas para harpas e outros instrumentos antigos. Os ossos bovinos também são transformados em porcelana fina e a queratina, uma proteína extraída do casco das vacas, é usada na fabricação de uma espuma especial para apagar incêndios.

Ossos Bovinos
Ossos Bovinos

Quanto aos peixes, sua bexiga natatória é usada para a confecção de um produto conhecido como “cola de peixe”, este atua como agente de colagem para cervejas, fazendo que o produto final seja claro e agradável aos olhos. A cola é uma forma muito pura de colágeno e são as moléculas fibrosas de colágeno que ajudam a acelerar o processo de sedimentação natural, atraindo as células de levedura. A levedura e o colágeno se combinam para formar partículas maiores, que decantam mais rapidamente para o fundo do poço, deixando o líquido acima mais claro muito mais rapidamente. Veja alguns outros exemplos de reutilização animal:

Âmber cinza: essa massa de cera formada dentro dos intestinos de uma baleia cachalote é usada em muitos perfumes sofisticados e caros.

Quitina: essa substância usada em muitos produtos para cabelo como géis fixadores é encontrada no esqueleto dos camarões.

Válvula de coração de porco: ela já salvou alguns pacientes cardíacos.

Placenta ovina: ela dá origem a um soro que pode ser aplicado no rosto como tratamento de beleza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *