Home / Informações / Características do Peixe Namorado

Características do Peixe Namorado

Vocês já ouviram falar do peixe namorado? Logo abaixo selecionamos as suas principais características, vale a pena conferir!

Nome Popular: Namorado
Nome Científico: Pseudopercis numida
Família: Pinguipedidae
Subordem: Tchachinoidei
Distribuição geográfica

Peixe Namorado
Peixe Namorado

 

O peixe namorado é uma espécie marinha eminente e tradicional de águas tropicais. Habita todo o litoral atlântico brasileiro desde o Estado do Espírito Santo até o Rio Grande do Sul sendo demersal, ou seja, vivendo no fundo do mar acima dos 50 metros de profundidade.

Descrição física

Peixe de escamas com corpo robusto e alongado e boca larga com lábios espessos. Nadadeiras anal e dorsal contínuas até a cauda, coloração marrom-violácea no dorso, pintalgado (multicolorido) com máculas brancas e ventre claro. O namorado pode chegar a mais de 1 metro de comprimento e ultrapassar os 3 quilos, mas são mais comuns exemplares de porte médio medindo cerca de 50 centímetros.

Habitat do Peixe Namorado

Habita fundos de areia de águas profundas e salgadas.

Alimentação

Alimenta-se de crustáceos e pequenos peixes. Os crustáceos são um subfilo do filo Artrópodes que agrupa um numeroso e diversificado conjunto de invertebrados que inclui cerca de 50.000 espécies. A maior parte dos crustáceos são organismos marinhos como as lagostas, camarões, cracas, percebes, tatuís, siris e caranguejos que vivem enterrados nas areias das praias do Brasil. Mas, há também, crustáceos de água doce, como o pulga d´água e terrestres como o bicho de conta.

Pesca de Peixe Namorado
Pesca de Peixe Namorado

Tempo de vida do Peixe Namorado

A sua estimativa de vida é de aproximadamente 30 anos.

Maturidade sexual

Como vive cerca de 30 anos a sua maturidade sexual é atingida tardiamente por volta dos 5 anos de idade.

Pseudopercis numida
Pseudopercis numida

Dimorfismo sexual

Essa espécie apresenta dimorfismo sexual sendo o macho sempre maior que a fêmea.

Carne apreciada

Os pescadores o adoram, sua carne é muito apreciada na culinária por muitos restaurantes, pois é composta de poucos espinhos distribuídos e tem ausência de gordura.

Preço do peixe no mercado

Se você aprecia um bom peixe em sua alimentação há várias opções no mercado. O peixe namorado junto à anchova custa em média R$ 15,99 e juntos são os mais procurados.

Fotos de Peixe Namorado

Peixes de água salgada

Além do peixe namorado há vários outros tipos que habitam as águas salgadas. Vejamos!

Peixe agulha (Strongylura marina)

Peixe de escamas diminutas com corpo alongado e fusiforme, boca comprida, formando um bico com numerosos dentes pontiagudos. As nadadeiras dorsal e anal estão localizadas na mesma posição na parte posterior do corpo e têm aproximadamente o mesmo tamanho. A coloração é prata esverdeada e mede 50 cm de comprimento ao todo.

Ocorre nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste. Fica em zonas pelágicas (áreas que vivem os seres vivos que não dependem dos fundos marinhos). Forma pequenos cardumes. É muito rápido e voraz. Alimenta-se de peixes pequenos. O que o ameaça é a poluição e a pesca predatória.

Atum (Thunnus tynnus)

Peixe de porte avantajado, atingindo 1 metro de comprimento nos primeiros 3 anos. Pode alcançar mais de 500 kg de peso. São considerados os peixes mais hidrodinâmicos entre as formas existentes. O corpo é fusiforme e o pedúnculo caudal bastante estreito. São importantes na pesca comercial para a indústria pesqueira.

Habita o mar aberto em todo o litoral brasileiro. Costuma formar grandes cardumes, normalmente são acompanhados por golfinhos e baleias. Alimenta-se de pequenos peixes e lulas. É um predador muito ativo. Suas principais ameaças são a pesca predatória e a poluição.

Badejo (Mycteroperca bonaci)

Peixe de escamas com coloração escura (marrom ou cinza), com manchas cujo padrão e coloração variam. Também conhecido como badejo quadrado. De grande valor comercial, devido ao apreciado sabor de sua carne. Atinge grandes dimensões, podem ultrapassar 1 metro de comprimento e 90 kg de peso.

Habita os costões rochosos, recifes de corais, lajes de pedra ou qualquer outra estrutura que contenha tocas utilizadas como abrigo e canais em regiões estuarinas (ambiente aquático de transição entre um rio e o mar). Ocorre em toda a costa leste brasileira. Tem o hábito de se entocar, nunca são encontrados em águas de baixa salinidade, vivem sozinhos ou em pequenos grupos de até 5 a 10 peixes. Alimenta-se de moluscos, crustáceos e pequenos peixes. As ameaças principais a espécie é a destruição do habitat, a poluição e a pesca predatória.

Cavalinha (Scomber japonicus)

O cavalinha tem o corpo alongado e fusiforme com escamas excessivamente pequenas, cabeça cónica, ligeiramente comprimida nos lados e focinho pontiagudo, a boca é grande e as barbatanas são pouco desenvolvidas — a 1ª dorsal em forma de foice com 10 a 13 espinhos delgados e a dorsal posterior (oposta à anal) é baixa e curta. A cor varia desde o dorso com tonalidades azuladas ou esverdeadas e o ventre prateado.

Habita desde a superfície até os 120 metros de profundidade. É um pelágico costeiro, porém costuma nadar em águas litorâneas durante o dia e, à noite, direciona-se para o mar aberto. Ocorre em toda a costa brasileira. Vive geralmente em grandes cardumes que patrulham as águas em busca de alimento, arduamente disputado quando encontrado. Nas fases iniciais do ciclo de vida tem tendências canibalistas. Alimenta-se de peixe, moluscos e crustáceos. A poluição e a pesca predatória são ameaças a sua espécie.

Congro rosa (Genypterus blacodes)

O congro rosa é um peixe de configuração longilínea, alongada e cilíndrica, com a cabeça e os olhos muito pequenos, as barbatanas anal e dorsal se unem na cauda, a boca é grande e repleta de grandes e pontiagudos dentes. A coloração é amarela rosada, marmoreado com manchas castanhas avermelhadas irregulares dorsalmente. Pode atingir 2 metros de comprimento e 25 kg de peso.

Habita a costa e os fundos rochosos em profundidades de 20 a 1000 metros. Ocorre no sudeste do Brasil. Arrasta-se junto aos solos marinhos, é muito sedentário, fixa-se em tocas nas rochas ou em destroços de navios afundados. Emite sons perfeitamente audíveis à superfície. Caça principalmente à noite, alimenta-se de crustáceos e peixes. A sua reprodução é ovípara, os seus ovos flutuam em uma massa gelatinosa. A poluição, a destruição do seu habitat e a pesca predatória são as principais ameaças à espécie.

E aí, gostou desse artigo sobre o peixe namorado? Sugiro que você deixe sua opinião, sugestão ou exponha alguma dúvida logo abaixo, nós com certeza leremos todos os comentários e responderemos. Saiba também que aqui no blog todo o dia tem conteúdo atualizado sobre o mundo animal. Se quiser receber artigos exclusivos no seu e-mail como este post, é só se inscrever em um campo que fica à sua direita na tela. Quero pedir uma última coisa, tá bom? Compartilhe esse conteúdo com os seus amigos! Combinado?

Aproveite! Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *