Home / Informações / Características do Urso

Características do Urso

O urso é um animal solitário que exibe um grande porte, cauda curta, orelhas pequenas e arrendondadas. Apresentam variadas características físicas e sociais, de acordo com sua espécie e localização.

Classificação

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Ursidae

Caracteristicas do Urso
Caracteristicas do Urso

Espécies de Ursos e Nomes Científicos

Atualmente, existem oito espécies de ursos.

Urso-Pardo

Nome científico: Ursus arctos
Estado de Conservação: Pouco preocupante
Distribuição Geográfica: É a espécie mais distribuída e pode ser encontrada em 45 países do noroeste da America do Norte, Europa e grande parte do norte da Europa. A maior concentração encontra-se na Rússia, Estados Unidos (Alasca) e Canadá.
Altura: Até 3 metros
Peso: De 90 a 800 quilos

Apresenta uma coloração que varia de branco ao castanho-claro, passando pelo dourado. Existem 10 subespécies não extintas do urso-parda, por isso apresenta um peso tão variável.

A alimentação é extremamente variada, de acordo com cada subespécie, pode comer de carne até peixes, frutas e vegetais. A característica comum entre todas as espécies, é o apreço pelo mel.

Urso-Polar

Nome científico: Ursus maritimus
Estado de Conservação: Vulnerável
Distribuição Geográfica: Regiões do Ártico nos países do Canadá, Groenlândia, Dinamarca, Noruega, Federação Russa e Estados Unidos. Além disso, podem ser encontrados vagando, ocasionalmente, na Islândia.
Altura: Até 2,5 metros
Peso: Até 700 quilos

Não existe nenhuma subespécie reconhecida do urso-polar. É a única espécie de urso adaptada ao meio aquoso, sendo dessa forma, um excelente nadador. O corpo é revestido por um longo e oleoso pelo branco.

É a espécie mais carnívora e sua principal presa é a foca, das mais variadas espécies. Ocasionalmente se alimenta de pequenos mamíferos, aves, ovos, peixes, plantas, frutos, moluscos e algas marinhas.

Urso-Negro Americano

Nome científico: Ursus americanus
Estado de Conservação: Pouco Preocupante
Distribuição Geográfica: Estados Unidos, Canadá e México
Altura: Até 1,8 metros
Peso: Até 300 quilos

Apresenta uma pelagem preta, marrom, bege ou branca. Existem 16 subespécies reconhecidas, todas com uma grande habilidade para subir em árvores.

Sua dieta se baseia principalmente em vegetais, como frutos, nozes, raízes e seiva das árvores. Eventualmente se alimenta de pequenos mamíferos e peixe. Essa espécie gosta de vasculhar o lixo do homem.

Urso-Panda

Nome científico: Ailuropoda melanoleuca
Estado de Conservação: Em 2016 foi reclassificado como vulnerável. Anteriormente estava em perigo de extinção.
Distribuição Geográfica: Sudoeste da China
Altura: Até 1,5 metros
Peso: Até 100 quilos

São reconhecidas duas subespécies do urso-panda, que apresentam uma coloração preta e branca característica. É um animal extremamente dócil que, diferente da maioria dos ursos, não hiberna.

A base da sua alimentação são folhas e brotos de bambu, mas também se alimentam de ovos e insetos.

Urso-Beiçudo

Nome científico: Melursus ursinus
Estado de Conservação: Vulnerável
Distribuição Geográfica: Florestas da Índia, Nepal, Sri Lanka, Bangladesh e Butão
Altura: Até 1,80 metros
Peso: Até 140 quilos

Também conhecido como urso-preguiça, são reconhecidas duas subespécies do urso-beiçudo. Seus pelos são longos e podem variar entre castanho-escuro e preto, com um “V” de cor clara no peito. O focinho comprido é uma característica da espécia e razão pela qual ganhou esse apelido.

A alimentação é feita preferencialmente de formigas e cupins, além de mel, frutas e vegetais.

Urso-de-Óculos

Nome científico: Tremarctos ornatus
Estado de Conservação: Vulnerável
Distribuição Geográfica: Na cordilheira dos Andes, ao longo de vários países como Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.
Altura: Até 1,80 metros
Peso: Até 150 quilos

O urso-de-óculos possui pelos de coração negra, variando até o castanho avermelhado, com uma faixa creme no focinho. Não existe nenhuma subespécie reconhecida e sua alimentação é basicamente formada por frutos e vegetais e, eventualmente, carne.

Urso-Malaio

Nome científico: Helarctos malayanus
Estado de Conservação: Vulnerável
Distribuição Geográfica: Florestas tropicais do sudoeste Asiático, Sumatra e Bornéu.
Altura: Até 1,50 metros
Peso: Até 65 quilos

É a menor espécie entre os ursos e possui duas subespécies reconhecidas. Apresenta uma pelagem curta e negra e, assim como o urso-panda, não hiberna. A alimentação é baseada em formigas, larvas, mel e frutas.

Urso-Negro Asiático

Nome científico: Ursus thibetanus
Estado de Conservação: Vulnerável
Distribuição Geográfica: Afeganistão, Paquistão, Índia, Vietnã, leste da Sibéria, nordeste da China, sudeste da Rússia, Taiwan, Tailândia, Correia do Norte e Japão.
Altura: Até 1,60 metros
Peso: Até 200 quilos

Possui sete subespécies não extintas reconhecidas e uma pelagem que varia de castanho a preto. Se alimenta preferencialmente de frutos provenientes de mais de 30 plantas diferentes.

Alimentação

Toda espécie de urso é onívora, mas sua alimentação é extremamente variada de acordo com o ambiente em que se desenvolveu, sendo que algumas espécies consomem praticamente vegetais.

Apesar dos usuais ataques de ursos a humanos, é importante mencionar que nenhuma espécie aprecia a carne humana e que esses ataques são mecanismos de defesa quando se sentem ameaçados.

Urso Alimentação
Urso Alimentação

Durante o outono, o ritmo de alimentação desses animais aumenta, sendo que cada adulto consome em média de 20 mil calorias por dia., praticamente cinco vezes mais que o normal. No final da estação, devido ao excesso de alimentação, o animal terá formado uma grossa camada de gordura, que será fundamental tanto para fornecer energia no período de hibernação, quando para garantir a manutenção do calor do corpo, agindo como uma espécie de isolante térmico.

Hibernação do Urso

O ato de hibernar é caracterizado pela drástica queda da temperatura corporal e diminuição dos batimentos cardíacos, de modo a deixar o animal em um estado em que seu organismo está, fisiologicamente, à beira da morte.

Apesar do urso se “desligar” durante o inverno, ficando sem comer, beber, urinar ou defecar, o que ocorre com ele não é caracterizado uma hibernação verdadeira, visto que a temperatura corporal cai pouca coisa em relação a temperatura normal. O processo, conhecido com estivação, pode ser chamado de falsa hibernação, visto que o sono não é tão profundo. Caso haja perturbação externa, o animal hibernado pode despertar, o que jamais seria possível em uma hibernação verdadeira.

Hibernação do Urso
Hibernação do Urso

Nesse período, que pode durar até sete meses, as calorias necessárias para a sobrevivência são retiradas da gordura acumulada durante o outono. O metabolismo é reduzido em 25% e a entrada de oxigênio também é reduzida, respirando uma vez a cada 45 segundos. A temperatura do corpo baixa em média 6°C e a frequência cardíaca cai de 55 para 9 batimentos por minuto.

Após despertarem, os ursos demoram em torno de 20 dias para que o metabolismo volte ao normal.

Raramente o urso em cativeiro hiberna, visto haver alimento disponível em qualquer estação.

Reprodução

O urso é um animal solitário, que só se junta a outro no período de acasalamento ou no período em que as fêmeas cuidam de seus filhotes.

A maturidade sexual ocorre entre 5 a 8 anos de idade e o acasalamento ocorre no início da primavera. O urso macho, apesar de solitário, costuma ser fiel a fêmea com quem se acasalou nos anos anteriores. Se necessário, um macho pode percorrer uma grande distância, utilizando o faro como guia, atrás da fêmea.

Reprodução do Urso
Reprodução do Urso

Se ao encontrar a fêmea, ela estiver sendo cortejada por outro urso, ocorre uma briga entre os animais. Na verdade, o principal intuito não é machucar o adversário, mas vencê-lo pelo cansaço. A fêmea não carrega a mesma personalidade do macho, portanto irá ficar com o vencedor da luta.

O animal que perde, normalmente, não persegue outra fêmea. Aguarda pacientemente o adversário sair de cena e quando a fêmea está sozinha volta a cortejá-la, uma vez que ela é capaz de trocar de parceiro tranquilamente.

O tempo de gestação varia entre seis a nove meses e resulta em 1 a 4 filhotes, que nasce no inverno. Mesmo nas maiores espécies, os filhotes nascem sempre pequenos, com cerca de 400 gramas. O filhote permanece junto com a mãe, dormindo e mamando, durante o período de hibernação.

Filhotes de Urso
Filhotes de Urso

O filhote nasce no inverno e permanece junto da mãe durante todo o período de hibernação, apenas mamando e dormindo. A fêmea cuida do filhote por aproximadamente dois anos, ensinando todas as técnicas necessárias para sobrevivência.

Agora que você já conhece as características das mais variadas dos ursos, o que acha de nos contar qual a sua espécie preferida?

Um comentário

  1. Preciso da localização de uma base de dados onde se tenha o tamanho exato das várias espécies de ursos e sua localização geográfica (latitude e longitude). Poderia me informar da onde tirou os dados para este artigo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *