Home / Informações / Garanta a Segurança do Seu Animal nas Festas de Final de Ano

Garanta a Segurança do Seu Animal nas Festas de Final de Ano

Sempre que chega o final no ano, começamos a pensar nos preparativos usuais desta data: Natal, Réveillon, viagem de férias e, principalmente, como garantir a saúde e bem-estar do seu animal de estimação. Para evitar que este período se torne conturbado para seu bichinho, separamos alguns itens que exigem atenção.

Cuidado Com Seu Animal no Natal
Cuidado Com Seu Animal no Natal

Evite Dar Comida da Ceia Para seu Animal

A intoxicação alimentar é o problema campeão de ocorrência com os animais nesta época. Os alimentos que preparamos nestas datas festivas possuem uma quantidade grande de temperos e são ricos em gorduras, o que é prejudicial para a saúde do animal. Castanhas, frutas secas e chocolates são alguns dos alimentos perigosos e podem trazer consequências severas para o animal. Uma única uva passa, por exemplo, pode acarretar em danos renais irreversíveis, acarretando em uma morte lenta e dolorosa. Chocolate é outro alimento tóxico para os pets, que pode ser fatal, dependendo da quantidade consumida.

Se não conseguir resistir ao olhar pidão, pode preparar uma refeição especialmente para seu bichinho. Um cozido com arroz integral, peito de frango e cenoura (extremamente benéfica, em pequenas porções, para a saúde tanto do gato, como do cachorro) é permitido desde que não levem qualquer condimento, incluindo o sal. Definitivamente seu pet ficará muito feliz com o mimo.

Cerveja e Outras Bebidas Alcoólicas Fazem Mal ao Cachorro?

Pode parecer mentira, mas alguns animais dão entrada em clínicas veterinárias com coma alcoólico ou danos severos, resultantes da ingestão de álcool. O animal absorve o álcool de forma muito mais rápida que humanos e isso pode originar gastrite, úlcera, problemas renais e/ou neurológicos. Além do álcool, algumas bebidas, como o caso do vinho, possuem componentes extremamente tóxicos para os animais.

Seja por um simples descuido ou por acreditar que pequenas doses não são prejudiciais, é fundamental que seu animal jamais tenha acesso a qualquer tipo de bebida alcoólica.

Como Evitar que Seus Animais se Machuquem com Enfeites Natalinos 

Para alguns animais, principalmente os gatos e filhotes em geral, a árvore de Natal e todos seus enfeites são como um playground perfeito, mas essa brincadeira pode se tornar perigosa. A ingestão acidental de algum enfeite pode causar obstrução ou perfuração do sistema digestivo, fazendo-se necessário uma intervenção veterinária emergencial.

Outro problema é o pisca-pisca, que pode causar queimaduras, principalmente na língua e focinho, e, em casos mais graves alterações neurológicas.

O ideal, para evitar incidentes, é que os enfeites fiquem totalmente fora do alcance dos animais, o que pode se tornar difícil no caso dos gatos. A fiação do pisca-pisca deve ser fixada com o auxílio de fita adesiva e, preferencialmente, coberta com tapetes ou outro item.

Como Acalmar o Cachorro dos Fogos de Artifício

Com uma audição apurada, os animais de estimação, especialmente os cachorros, costumam viver momentos de pânico com a solta de fogos de artifícios. Para alguns animais, esse barulho é um sinal de perigo que exige fuga imediata. E durante essa fuga incidentes, como atropelamento, queda pela janela, etc. podem acontecer. Ademais, também pode acarretar em problemas psicológicos, com sintomas pós-traumático, caracterizado principalmente pelas alterações no comportamento. Em casos mais graves, podem ocorrer paradas cardiorrespiratórias, resultando na morte do animal.

O ideal é que, nesse momento, ele esteja dentro de casa (com janelas e portas fechadas) acompanhado pelo dono ou alguém de confiança dele.
No caso de cachorros, forre o chão e coloque um edredom por cima, a fim de abafar o barulho. Não o segure a força e jamais deixe ele preso nesse momento, pois na tentativa de fuga pode ocorrer o enforcamento.

Já os gatos, preferem ficar sozinhos e escondidos em um lugar que considerem seguro, como uma caixa de sapato.

De qualquer maneira, sempre haverá a possibilidade de fuga, portanto é fundamental deixar uma placa de identificação, com seu nome e telefone, na coleira do animal.

Viajar Sem o Animal de Estimação

Garantir a proteção e bem-estar do seu animal não é uma opção, mas sim uma obrigação. Antes de sair para viajar, você deve se certificar que o animal será amparado neste período.

Para quem tem gato, essa situação costuma ser mais tranquila. Gatos sentem o impacto da mudança do ambiente, mas não costumam sofrer com a ausência do dono. Isto posto, sempre que possível deixe o gato em casa. Conhecido por sua independência, o gato pode ficar até 2 dias sozinho, desde que com água e comida suficiente para este período, além de duas caixas de areia.

Depois de dois dias, alguém deverá ir ao local para limpar as caixas e trocar a água e comida. Se o gato tiver hábito de andar pela vizinhança, esse hábito deve ser mantido sempre que alguém for na casa, caso contrário ele poderá ficar estressado.

Já com os cachorros, a situação é mais delicada, pois são extremamente apegados a seus donos. O ideal, na falta da opção de levá-lo na viagem, é que alguém se hospede na sua casa durante esse período para afetar o mínimo possível a rotina do cachorro, que ficará triste de qualquer maneira.

A segunda opção, é hospedar o cachorro na casa de alguém de confiança. Isso deixará ele mais triste que a primeira opção, mas se ele já tiver intimidade com a pessoa e for cercado de carinho e atenção, pode não ser tão traumático.

Caso nenhuma das opções anteriores seja viável, recorra a um hotel de animais. Mas certifique-se das referências do hotel e visite com antecedência o local para conhecer as instalações, principalmente as condições de higiene e isolamento.

Viajar com Animal de Estimação

Na hora de viajar com seu pet, sempre use uma caixa de transporte para proteger o animal em caso de acidente ou freada brusca. Para evitar enjoos, faça uso de medicação indicada por um veterinário ou, em viagens curtas, garanta que o animal esteja pelo menos 2 horas de jejum. A cada 2 ou 3 horas, pare o carro para o animal fazer as necessidades e beber água.

Os pets, são membros importantes da família, totalmente dependentes e garantir o seu bem-estar depende de nossas atitudes. Cuide bem de quem você ama e não esqueça de deixar um comentário com suas dicas ou opiniões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *