Home / Informações / Marsupiais Brasileiros

Marsupiais Brasileiros

Marsupial é uma classificação entre os animais mamíferos. Os animais mamíferos possuem uma classificação de acordo com o seu desenvolvimento embrionário na reprodução.

Dentre as classificação existem três, são elas: os monotremados, que têm o seu desenvolvimento embrionário no ovo, característica de aves, mas existem dois mamíferos que também o fazem, o ornitorrinco e a equidinea; os placentários, que têm seu desenvolvimento total dentro da placenta, a maioria dos mamíferos, cerca de noventa e quatro por cento, entre eles, nós e entre nós os primatas; e por último, os marsupiais, que têm parte do seu desenvolvimento embrionário na placenta e a outra parte no marsúpio.

Marsupiais e o Seu Marsúpio: Como Isso Funciona?

Marsupiais são mamíferos que possuem o marsúpio, uma espécie de bolsa, o mais conhecido entre eles é o canguru, mas apesar de ser uma classificação que existe a minoria dos mamíferos junto com os monotremados, não há só ele na classificação, também há os coalas, o diabo da Tasmânia, os gambás e alguns outros menos conhecidos.

Algumas pessoas confundem a definição de placentários e marsupiais por conta do nome. Como se o placentário tivesse placenta e o marsupial não. Mas o fato é que os marsupiais também possuem placenta. A diferença é que todo o desenvolvimento embrionário dos placentários é realizado na placenta. No caso dos marsupiais parte do desenvolvimento embrionário é feito na placenta, depois de um tempo o embrião nasce pela primeira vez da placenta e vai em direção ao marsúpio, onde vai ser finalizado o seu desenvolvimento.

Também confundem como se os placentários fossem mamíferos mais evoluídos e os marsupiais fossem menos, um melhor do que o outro, o que também não é conclusivo, são apenas processos diferentes de classificações diferentes.

Ainda sobre a diferença na reprodução, os placentários já nascem desenvolvidos da placenta e recebem todo o nutriente necessário para o bebê no caso de nós humanos ou filhote no caso dos outros mamíferos se desenvolver, diretamente da placenta, já os marsupiais recebem todo o nutriente necessário da placenta até nascerem bem menos tempo depois em comparação ao tempo que os placentários se desenvolvem na placenta e o restante dos nutrientes necessários para finalizar o seu desenvolvimento, da amamentação.

Ou seja, o primeiro já nasce desenvolvido e mama como forma de alimentação, enquanto o segundo ainda mama para nascer novamente, dessa vez totalmente desenvolvido.

Comportamento dos Marsupiais

Marsupial - Canguru
Marsupial – Canguru

Os marsupiais não são tão espalhados como os mamíferos mais comuns. Se encontram na América do Sul e Central além da Oceania. Nem tão rico em número por serem minoria entre os mamíferos. Formam cerca de trezentas e vinte espécies e cerca de somente quatro porcento da população de mamíferos.

Finalmente no Brasil, existem cerca de quarenta e quatro espécies, entre todas elas, somente um deles são famosos, os  gambás, entre eles o cuíca e a catita.

Se você acha que o Brasil está pobre deles, imagina a América do Norte, que só apresenta uma espécie do mesmo, o gambá da Virgínia. Apesar de se restringirem tanto a poucas região são bem flexíveis, e estão presentes em variados habitats dentre florestas tropicais a desertos australianos, como o canguru.

Podem ser arbóreos, terrestres e algumas espécies até semi aquáticas. Também podem andar, escalar, cavar, correr ou nadar. O voo realmente não é com eles, aí seria pedir demais também. Podem ser animais diurnos ou noturnos.

Bom, pudemos ver que os marsupiais têm seu comportamento variado, mas sua alimentação não é diferente, podem ser herbívoros, carnívoros, insetívoros e onívoros. Além de algumas espécies de marsupiais já terem sido extintas, muitas outras estão atualmente em risco de extinção, cerca de cem espécies.

Vamos a algumas das espécies de gambás encontradas no Brasil que são marsupiais.

Marsupiais Brasileiros 1: Gambá de Orelha Branca

O gambá de orelha branca se encontra não só no Brasil na América do sul, mas também na Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai.

Como característica comum dos marsupiais, é bem flexível, podendo se habitar em naturezas diferentes. Ele pode apresentar um comportamento tanto terrestre como viver em árvores. Super parecida com essa espécie de gambá, também há o gambá da orelha preta, não preciso falar da sua diferença para diferenciar sua classificação, não? Claro, suas orelhas de cores distintas.

Têm o porte de pequeno a médio, parecido com o porte de um gato, pequenos comparados a um gambá comum, mais conhecido. Quando já adultos pesam somente de um quilo e meio a dois quilos. Possuem a pelagem e a cauda preta e acizentada e as orelhas, em razão do nome, branca, seus focinhos e parte de dentro da orelha são rosados.

Não são menos queridos por serem diferentes ou curiosamente terem uma glândula perto do ânus que solta um odor, são até usados como mascote do clube náutico Capibaribe, um time de futebol do Recife, Pernambuco, região onde também se encontra.

Marsupiais Brasileiros 2: Gambá da Orelha Preta

Olha ele aqui de novo e já que o citamos no texto acima, vamos continuar a falar dele… O gambá da orelha preta, também conhecido como saruê ou sarué.

Também habita algumas das mesmas regiões que o gambá da orelha branca, como a Argentina, o Paraguai e o Brasil, onde habita florestas, a Mata Atlântica e o Rio Grande do Sul. Seu porte também é parecido com de um gato, de pequeno a médio, pesando aproximadamente um quilo e seiscentas gramas.

Sua aparência é com a pele marrom clara, pelagem preta acinzentada, orelhas pretas como o nome sugere e focinho rosa. Como parte da sua personalidade flexível, sua alimentação também é, se alimentam de insetos, larvas, frutas, entre outros, chegam a se alimentar até de ratos, sendo considerados parte importante no controle de população de roedores.

Um dado muito curioso é que na reprodução, quando na gestação da fêmea, que pode ser de duas vezes ao ano, a mãe gera cerca de oito filhotes que ficam literalmente grudados em suas tetas por aproximadamente três meses até desmamar e desgrudar.

A quantidade de filhotes não é problema, já que ela possui treze generosas mamas para alimentar seus filhotes no marsúpio. O que também deixa os filhotes grudados de forma confortável para eles e para a nova mamãe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *