Home / Informações / Pássaro Mutum em Extinção

Pássaro Mutum em Extinção

O mutum é um galliforme, mesma ordem em que se encontram os parecidos perus, galinhas, perdizes, codornas, faisões e pavões. Assim como todos eles, são criados domesticamente mundialmente entre a população das regiões onde se encontram para o abate e consumo da sua carne já que são aves com muita carne devido ao seu porte e também para o consumo do seu ovo.

Gêneros, Espécies e Subespécies Para Criação de Mutum

Os mutuns se dividem em quatro gêneros, o crax, em que se encontram sete espécies e subespécies de mutuns, são eles o mutum Belém, o mutumporanga, o mutum de penacho, o mutum do sudeste, o mutum fava, o mutum de papo amarelo, o mutum de bico azul e o mutum grande; o gênero pauxi, em que se encontram três espécies e subespécies, o mutum sira, o mutum de chifre e o mutum capacete, o gênero mitu, em que se encontram quatro espécies e subespécies, o mutum de bico barbudo, o mutum de salvin, o mutum do Norte, e o extinto na natureza e presente somente em cativeiro, mutum alagoas e por último o gênero nothocrax, em que se encontra somente o urumutum.

Como São os Mutuns?

Têm a característica em comum independente do sexo e da espécie. São aves com porte grande, plumagem volumosa, penas coloridas, pernas finas e compridas, asas curtas e caudas compridas.

A maioria dos mutuns possui forte dimorfismo sexual, ou seja, diferenças padrões na aparência conforme o sexo, geralmente estas distinções são nas penas do macho que são mais coloridas comparadas as da fêmea e no porte, que como a maioria dos outros animais, o macho é maior que a fêmea. Alguns dimorfismos os distinguem completamente entre os sexos apesar de pertencerem à mesma espécie.

Os mutuns são aves flexíveis e adaptáveis apesar de não serem migratórias de uma região para outra e podem chegar a ter a capacidade de viver até mesmo no frio. Não são assim só quanto ao ambiente mas quanto à alimentação também, podem chegar a ter a mesma alimentação que ruminantes, mas sua alimentação habitual em seu habitat natural como qualquer outro herbívoro ou onívoro são basicamente frutas e pequenos invertebrados, como insetos e até mesmo vermes.

Mutum em Cativeiro e Extinto
Mutum em Cativeiro e Extinto

Essa alimentação como aves terrestres que são, é feita através de ciscadas no solo, como popularmente conhecemos a mais comum galinha fazer. Por serem aves de grande porte e apesar de terem pequenas asas não voam. Quando ameaçados por predadores, correm.

Apesar de serem aves terrestres, também sobem em árvores, assim como os também parecidos com eles, jacus, onde dormem se protegendo de predadores e constroem seus ninhos em reprodução.

Algumas muitas aves são monogâmicas, ou seja, só escolhem uma ave do sexo oposto para se reproduzirem por toda a vida, mas os mutuns, ambos os sexos, variam entre poligâmicos ou monogâmicos conforme a espécie.

O acasalamento é iniciado pelo macho que solta um som característico para atrair a fêmea, quando acasalam, a mesma bota de três a quatro ovos por reprodução em um ninho construído com paus e folhas no alto das árvores. A incubação também é feita pela fêmea e quando os filhotes eclodem os ovos e nascem, já são capazes de viverem praticamente sozinhos por serem considerados como aves precoces.

Criação de Mutum do Nordeste

Esta espécie de mutum mede aproximadamente noventa centímetros de comprimento e pesa cerca de três quilos, seu nome científico é pauxi mitu.

Como uma espécie de mutum quase extinta na natureza e protegida em cativeiro para a preservação, reprodução e reintrodução no habitat natural com os últimos indivíduos encontrados, não poderíamos deixar de contar a sua história. O mutum do Nordeste foi a primeira espécie de animal brasileira a ser considerada extinta na natureza em mil novecentos e oitenta e sete. O que o levou a este dado foi a caça ilegal para o consumo de sua carne pela população local e o desmatamento do seu habitat natural com a crescente plantação de cana de açúcar na época. Foram encontrados na natureza somente os últimos mutuns, um macho e duas fêmeas para reprodução da sua espécie em cativeiro.

Mutum em Cativeiro
Mutum em Cativeiro

Tempo após a sua reprodução, foi necessário o cruzamento com o mutum cavalo para continuação da sua espécie, desta forma, somando mutuns do Nordeste puros e híbridos, o que não era diferençável a olho nu, em dois mil e doze, através de exames de sangue, se identificou sessenta e seis puros e oitenta e dois híbridos entre cento e quarenta e dois mutuns da espécie. Atualmente, existem cerca de duzentos deles.

Há cerca de somente dois anos atrás, em dois mil e dezessete o primeiro casal foi finalmente reintroduzido a natureza através de adaptação de grandes cativeiros até a soltura definitiva e são monitorados para controle da sua adaptação, reprodução e aumento da população na natureza, curiosamente são uma espécie de mutum com a maturidade sexual um tanto tardia, atingida somente aos três anos de vida.

Cuidados Na Criação de Mutum

Assim como o mutum do Nordeste em necessidade de criação em cativeiro para a preservação da sua espécie, toda ave silvestre criada domesticamente seja com o intuito de consumir sua carne e ovos, reproduzir ou não, necessitam de cuidados que a aproximem o máximo possível da sua vida silvestre na natureza para a preservação da sua saúde e bem estar, o que em caso de abate, acaba interferindo até mesmo na qualidade da sua carne.

Mutum de Bico Vermelho
Mutum de Bico Vermelho

Galliformes no geral são de simples manejo e manutenção, o que gera menos gastos e mais lucro o que acaba atraindo ainda mais a cultura de vários países de criação, comercialização e consumo, desta forma, necessitam somente de cuidados básicos que visem uma boa alimentação, tendo como base sempre de onde retiram seus nutrientes em seu habitat natural e um ambiente que o aproxime da natureza, com árvores e terra protegidos da chuva, vento e sol forte quando necessário.

Lembrando que aves no geral têm o sistema respiratório frágil, o que além de necessitar de ar puro, necessitam de higienização combatendo vírus e bactérias assim como proteção a climas quentes, frios e úmidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *