Home / Informações / Rato De Telhado Características E Fotos

Rato De Telhado Características E Fotos

O rato de telhado está entre os ratos mais comuns a habitarem as instalações humanas, por este motivo, somado a sua transmissão de doenças e a sua adaptação e esperteza diante de armadilhas humanas, como ratoeiras e venenos, são considerados pragas domésticas.

Dentre as doenças que os ratos de telhado transmitem estão as gravíssimas peste bubônica, tifo e toxoplasmose.

Rato de Telhado: Quem é ele?!

Junto a ele como ratos mais comuns estão os menores -se comparado a eles- os camundongos , e as maiores chamadas ratazanas, todos eles com a característica de terem o rabo e o bigode compridos, rabo este tão longo que pode atingir o mesmo comprimento do corpo ou ser até maior.

No meio termo quanto ao porte está ele, com seus de dezoito a vinte e dois centímetros de comprimento de corpo e quinze a vinte e dois centímetros centímetros de cauda.

O rato do telhado tem a sua origem na Ásia assim como todos os ratos urbanos e atualmente se espalharam em grande população por todo o mundo. Um dos fatores que deu tal realidade, é a sua capacidade de procriação. No caso dos ratos do telhado, a gestação dura cerca de vinte e um dias e com cerca de três semanas os filhotes já desmamam.

Eles atingem a maturidade sexual aos três meses de vida e convivem em comunidade de forma hierárquica padrão bem estabelecida, no caso desta espécie de rato. Convivem em grupos de um macho e duas ou três fêmeas, desta forma, seguem reproduzindo por toda a vida. Também são conhecidos como Guaribu em algumas regiões do Brasil.

Não Subestime O Rato de Telhado

Como todo os ratos, têm o hábito noturno, é durante este período que vão as suas atividades e a caça de alimentos.

Curiosamente a visão dos ratos não é tão desenvolvida para as suas atividades diárias, desta forma se localizam pelos seus bigodes grandes, e pelo seu olfato e audição, que em compensação são bem apurados e desenvolvidos e é assim também que identificam ameaças como os próprios predadores, armadilhas humanas para se livrar deles, como ratoeiras e venenos e encontram alimentação para a sua sobrevivência.

Mas não se engane ao pensar que é fácil enganar um rato, eles aprenderam a conviver com os humanos com o passar do tempo e conhecem muito bem as suas artimanhas, tanto que curiosamente têm a característica de serem resistentes a qualquer item novo no ambiente em que está vivendo, tanto que dificilmente seriam enganados ou mortos com sucesso.

Como todo rato de habitat urbano, se urbanizaram pela urbanização do seu habitat natural. Enquanto as ratazanas preferem canos, bueiros e ralos e os camundongos os lugares mais escondidos, os ratos de telhado, como o nome sugere, prefere lugares altos, como o próprio telhado, sótãos e forros que fazem de abrigo para si e para a caça de alimento.

Alimentação esta que é a base de legumes, frutas, cereais, raízes e pequenos invertebrados e insetos em geral, como roedor mamífero onívoro que é.

O Que Os Faz Roedores?

Rato De Telhado Mostrando os Dentes
Rato De Telhado Mostrando os Dentes

Como roedores que são, seus pares de dentes superiores e inferiores nunca param de crescer, e é daí que vem a sua característica principal, a de roer objetos como madeiras ou alimentos como plantações para estabilizar o crescimento dos seus dentes e cuidar instintivamente do seu bem estar.

Não é raro alguém que identifique a presença de um rato no mesmo ambiente pela descoberta de materiais, como fios desencapados e roídos ou donos de plantações que se queixam muito dos mesmos, os considerando em maior grau pragas por a estragarem.

Quando falamos em roedores, logo vem a nossa cabeça os famosos coelhinhos por também terem essa característica, mas curiosamente eles não são pertencentes ao mesmo grupo, isto porque surpreendentemente não são roedores, mas sim lagomorphos, ou seja, apesar de seus dentes incisivos não pararem de crescer durante toda a vida, assim como os roedores e roerem alimentos fibrosos para a manutenção do tamanho de seus dentes, têm quatro dentes incisivos superiores, diferente dos roedores, que como já dito, têm somente dois.

Outra diferença é que são animais herbívoros, enquanto eles, como também já citado, são onívoros. Outra curiosidade é que os ratos são um dos animais mais bem sucedidos em questão de adaptação e número de indivíduos na natureza.

A Presença De Ratos Em Nossa Sociedade

Enquanto uns os repelem pelas doenças que podem transmitir com o contato humano ou até mesmo pela sua cauda fina e comprida, o que naturalmente acaba gerando certo desconforto, alguns os consideram fofos e os escolhem para criar como meros animais de estimação.

Pelo senso comum o rejeitar tanto, são usados como animais de testes medicinais em laboratórios sem que movimentos da causa animal os protejam ou evitem de alguma forma que este ato continue. Também são os animais escolhidos para tal feito por terem o organismo muito aproximado ao do ser humano, o que já rendeu diversos estudos.

Outro fator que contribui para este uso é o seu fácil manuseio e manutenção, com alimentação econômica e capacidade de reprodução elevada. Junto aos camundongos são os mais escolhidos para estes testes e estudos.

Há também os excêntricos tutores de cobras, que dentre os cuidados com seu animal de estimação escolhido nada comum, está a sua alimentação nada comum também como o esperado, dentre os principais itens oferecidos estão os ingênuos ratinhos comprados em lojas especializadas.

Alguns tutores menos maldosos já os dão mortos e congelados, mas duramente há quem os dê vivo, para que a cobra se sinta em caça e o pobre ratinho lute pela sua sobrevivência até finalmente ser morto e comido. Enfim, os ratos têm seu lado repelente, mas para algumas pessoas têm seu lado fofo digno de compaixão e empatia, tanto que algumas preferem não os matar quando aparecem em suas casas, mas sim os liberar em espaços livres de habitação humana quando encontrados sem que tenham contato direto, claro.

Neste ponto, vale citar que apesar de indiretamente nos fazerem mal pelas inúmeras doenças que transmitem de acordo com cada espécie, são eles que têm medo de nós humanos e não nós que devemos ter medo deles, pois quando invadem um mesmo espaço que o seu só querem abrigo e alimento e não planejam lhe causar nenhum mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *