Home / Informações / Reprodução Dos Marsupiais

Reprodução Dos Marsupiais

Os animais mamíferos são classificados de acordo com o seu desenvolvimento embrionário. Existem três classificações de mamíferos: Os que têm seu desenvolvimento embrionário dentro do ovo, os monotremados; os que têm seu desenvolvimento embrionário total na placenta, os placentários, que seu desenvolvimento total embrionário é dentro do corpo da mãe através de um anexo embrionário presente na placenta, que como exemplo temos nós, seres humanos e por último, os que têm seu parcial desenvolvimento dentro da placenta e seu desenvolvimento embrionário total dentro do marsúpio, os marsupiais, que possuem uma espécie de bolsa, que é mais reconhecida popularmente no canguru.

Reprodução dos Marsupiais: Diferença Entre Placentários e Marsupiais

A placenta do coala que é um marsupial, é corioalantoideana como a nossa, que somos placentários. A diferença dos nomes marsupiais e placentários dá a entender que temos placenta e eles, os marsupiais não, mas não é bem assim.

A diferença é que mantemos a placenta por toda a reprodução, já os marsupiais como o coala formam a placenta, mas não conseguem manter ela íntegra durante toda a gravidez. É como se a gravidez fosse interrompida de forma prematura e se completasse no marsúpio, na “bolsa” da mãe.

Onde o filhote é alimentado pelo leite que a mãe produz e recebe ali os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento no lugar do anterior cordão umbilical quando ainda estava na placenta.

Ou seja, nós conseguimos manter a placenta por mais tempo e os marsúpios por menos. O que a gente pode conceber diante disso também é que os marsupiais são animais menos evoluídos que os placentários, mas isso não é verdade, são apenas diferentes estratégias de reprodução e desenvolvimento.

Depois de um período longo de gestação nascemos e temos um período curto de amamentação, já marsupiais têm um período curto de gestação e depois que o filhote nasce têm um longo período de amamentação. Para se ter ideia, a gestação na placenta do canguru chega a ter cerca de trinta e três dias, já no marsúpio os cangurus ficam em torno de oito meses. A única real diferença entre o placentário e o marsúpio é que no primeiro o tempo de gestação é maior, mas o marsúpio possui um tempo maior de amamentação.

Mamíferos Marsupiais

O nome marsupial tem origem na palavra latina marsupiu, que significa pequena bolsa e diz respeito ao marsúpio, que realmente é uma espécie de bolsa criada pela fêmea como se fosse a placenta, no caso dos placentários no desenvolvimento embrionário do filhote. No marsúpio, da mesma forma, os animais recebem seus nutrientes através da mãe mamando constantemente. Através dessas informações, aposto que o primeiro animal que veio a sua cabeça foi o canguru, mas apesar da população dos marsupiais ser pequena, eles não são os únicos, estão na mesma classificação o gambá, a cuíca, o diabo da Tasmânia, e o coala, já citado como exemplo aqui no texto.

Mas como o tema do texto é mais específico, vamos apresentar o que primeiro veio a sua cabeça e o mais conhecido não só por você mas entre a maioria das pessoas, ele mesmo, o canguru:

Reprodução dos Marsupiais: o Canguru

O canguru não é monogâmico como caracteristicamente as aves são, pelo contrário, é poligâmico, ou seja, tem vários parceiros. Produzem apenas um óvulo na reprodução, assim apenas um espermatozóide pode fertilizar o óvulo. Vários rivais cruzarão com a fêmea para tal.

O espermatozoide de canguru vence a “corrida” criando uma armadilha, o próprio fluído do sêmen cria uma tampa elástica espessa, bloqueando temporariamente a passagem vaginal, o bloqueio permite que apenas o próprio espermatozoide passe, impedindo a passagem de todos os outros pretendentes e consequentemente menos “competidores”.

Para os que passam, o caminho não é único, curiosamente o canguru tem três vaginas. A passagem vaginal se divide obrigando os espermatozoides a seguirem um único caminho. Nessa etapa a divisão não importa, pois os canais convergem, no entanto, pouco depois a rota se divide novamente. Nesse momento a escolha do trajeto é crucial.

Depois de fertilizado, o óvulo segue para o útero, nos seres humanos o zigoto se desenvolve na segurança do útero por longos nove meses, no canguru a estadia será extremamente breve. Um canguru com cerca de quatro semanas já estará prestes a nascer. Ele será um pouco maior que uma bala, mas já terá capacidade para o desafio a seguir.

Comparado ao tamanho de um embrião de oito semanas, ele já tem o que precisa para tal: equilíbrio, olfato e minúsculos músculos para fazer a maior jornada da sua vida. Poucos de nós têm acesso ao nascimento de um canguru.

Da Placenta ao Marsúpio

O minúsculo canguru não resistiria muito tempo do lado de fora do marsúpio, mas ele está bem preparado, usando o ouvido interno para se equilibrar, o nariz para encontrar o caminho e os braços para se impulsionar, o filhote segue para o marsúpio.

Milhares de vasos sanguíneos próximos a superfície da pele o tornam vermelho vivo e nesse momento recebe oxigênio diretamente do ar, mas os pulmões ainda são imaturos demais para a tarefa. Após cerca de dois minutos de esforços, quando já está quase esgotado, chega até a base do marsúpio.

Nessa viagem ele percorreu cerca de trinta centímetros. Logo que chega ele procura uma teta, sua nova fonte de vida. Ao criar a bolsa e a fêmea substitui o cordão umbilical pelo mamilo, ou seja, ao invés de extrair os nutrientes do sangue, o bebê dependerá agora de um suplemento constante de leite.

Canguru Recém Nascido
Canguru Recém Nascido

Ele começa a mamar e vai continuar assim nos próximos seis meses. Apesar do calor onde os cangurus vivem na Austrália, o marsúpio continua úmido. O leite muda de característica a cada semana para atender às necessidades do filhote. Na última fase do desenvolvimento o mundo do filhote ganha sons, as enormes orelhas se descolaram do crânio e começaram a funcionar, como muitos outros animais, com uma capacidade impressionante de conseguir ouvir diferentes sons de muita distância.

Após cerca de duzentos dias o novo canguru nascerá de novo, dessa vez de vez, desenvolvido totalmente para viver normalmente, andar em bandos e lutar contra predadores. Isso depois de oito meses no marsúpio fora o tempo na placenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *